Rodrigo Pimentel acompanhou a visita realizada no último sábado

A ASSERJ acaba de lançar o ASSERJ Família, um projeto que tem o objetivo de tirar seus associados durante algumas horas de seu trabalho para que eles possam viver novas experiências em lugares inusitados. Para dar início ao ASSERJ Família, o local escolhido foi a sede do Batalhão de Operações Policiais Especiais.

A visita, acompanhada por Rodrigo Pimentel, começou com um coffee break no refeitório dos oficiais. Em seguida, os associados foram encaminhados para a sala de aula do batalhão. Lá, um dos policiais detalhou o trabalho realizado pela tropa de elite da Polícia Militar do Rio formada por 400 homens, os desafios, dificuldades enfrentadas com o estado falido e traçou um paralelo entre a vida policial e a empresarial.

– Vir ao BOPE é diferente de tudo o que a gente passa no dia a dia. Fiquei impressionado ao ver a força de vontade desses policiais, a competência no trato e no trabalho. Com todas as carências de recursos que eles têm, é uma superação diária o que eles fazem. Não pensei que uma tropa de elite passasse por tantas dificuldades. Foi triste e motivador. Voltei para a empresa passando os aprendizados para a minha equipe – disse Avelino Ribeiro Alves, da Rede Economia.

Depois da apresentação na sala de aula, os convidados puderam conhecer os equipamentos utilizados pelo BOPE e ainda foram apresentados para a tropa que estava de plantão. Depois, foi feito um tour pelo batalhão que está sendo reformado pelos policiais com recursos próprios e doados. Para encerrar, os visitantes puderem ver uma simulação de resgate de refém.

– Quanto mais pessoas conhecerem o BOPE, melhor para o batalhão. As pessoas precisam saber as dificuldades das missões, do dia a dia, o profissionalismo desses policiais que são entusiasmados, dedicados e treinam diariamente pra proteger a sociedade. Essa visita foi boa para os empresários lembrarem da necessidade de um árduo planejamento e do entusiasmo. No BOPE todo mundo é apaixonado pelo o que faz e se essa sensação não existe, o negócio não prospera. O líder tem sempre que estar à frente das missões, já que é ele que vai dar a direção e conduzir ao sucesso – avalia Pimentel.

asserjfamilia

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *